Nota pública da MAD Powerlifting sobre manifestações em mídias sociais do aluno Fabricio

Pela primeira vez em muitas décadas somadas de experiência em ensino superior, tivemos um aluno que se descontrolou e difamou um dos professores e o curso (atacando, assim, a MAD Powerlifting). O aluno o fez em seus canais do Facebook e Instagram.

A boa metodologia pedagógica impede que estes conflitos ocorram: ainda que alunos não se sintam sempre à vontade, que entrem em conflito uns com os outros, há técnicas para administrar tudo harmonicamente. Esta metodologia pedagógica também dá ao professor recursos para que jamais o conflito se estenda a ele, pois de sua autoridade depende o bom andamento do curso. O professor de nível superior tem a responsabilidade de não permitir que qualquer perturbação ocorra, com diversos instrumentos pedagógicos para tal.

A MAD Powerlifting é um sistema de educação continuada em treinamento de força inédito no Brasil. Temos parceiros, mas não concorrentes diretos. Temos um grau relativamente alto de visibilidade no meio do treinamento físico.

O caso que enseja o presente esclarecimento é de um aluno específico, cuja agenda não é clara. Pode ser uma agenda comercial, política ou apenas uma situação de instabilidade emocional.

O aluno da MAD Powerlifting Fabrício Leão matriculou-se no primeiro semestre para o programa completo de seis níveis de nosso sistema de educação continuada em treinamento de força. No entanto, desde o primeiro dia, mostrou que tinha uma afiliação metodológica contrária à metodologia da MAD Powerlifting. Além disso, constrangeu os demais alunos, tornando necessário chamar atenção calmamente em aula, dizendo a ele que seria necessário que ele “controlasse sua necessidade de falar”, já que ele demonstrava um grau de ansiedade descontrolado, falando junto com a professora e junto com quaisquer alunos que se manifestassem.

É obrigação do professor encarregado da aula expositiva controlar tais manifestações, que podem ocorrer.

Durante as práticas de todos os cursos, o aluno Fabrício Leão não conseguia conter sua necessidade de expressar sua filiação ao sistema de Charles Poliquin, tornando totalmente impossível ensina-lo a agachar, entre outros movimentos.

Não apenas o aluno não se permitiu qualquer oportunidade de aprendizado, como passou a buscar influenciar os demais alunos, os quais manifestaram, em particular, desconforto com a situação.

No dia 12 de setembro, durante o curso nível 3 da MAD Powerlifting, o aluno Fabricio Leão mais uma vez insistiu em executar o movimento do agachamento de maneira inconsistente com nossa metodologia, reiterando sua filiação ao sistema Poliquin.

Foi então que a Dra. Marilia Coutinho desautorizou o sistema em nosso curso, fato que já havia sido repetido, inclusive por e-mail, para todos os alunos: nenhum “guru” de treinamento seria discutido ou admitido em sala de aula.

O aluno Fabrício se retirou e fez pelo menos 5 postagens difamando a MAD Powerlifting e atacando sua treinadora chefe, Dra. Marília Coutinho.

Meses atrás, um consultor de marketing havia previsto que em breve alguém se matricularia como aluno com o único intuito de gerar controvérsia com a Dra. Marília, com a finalidade de se promover. Em marketing, poucas coisas são mais eficientes do que a controvérsia envolvendo uma autoridade no campo.

Assim, o comportamento do aluno Fabrício Leão nos sugere algumas dúvidas:

1.   Por que uma pessoa que é filiada a um sistema rigorosamente oposto à metodologia da MAD Powerlifting se matricularia em nosso programa se não fosse para criar situações de conflito?

2.   Por que esta pessoa seguidamente provocaria a professora chefe com interrupções e tentativas de se antecipar às suas explicações, mesmo diante do desconforto dos alunos?

3.   Por que esta mesma pessoa insistiria, em mídia social, em marcar os professores da MAD junto com seus adversários intelectuais, como se estivessem todos em situação de igualdade?

Deixamos propositalmente estas dúvidas em aberto. Elas sugerem possíveis respostas, porém não temos dados concretos para produzir nenhuma conclusão definitiva.

Ficam as perguntas, inevitáveis, discutidas com alunos e simpatizantes.

O investimento do aluno para os cursos finais foi integralmente reembolsado. Prometemos a nossos alunos que daqui por diante, qualquer comportamento suspeito no primeiro curso do programa fará com que não aceitemos mais a inscrição do aluno no restante do programa. Ninguém mais será exposto ao desconforto que o aluno Fabrício impôs a nossos alunos.

Este assunto termina aqui. Qualquer reação do aluno Fabrício será administrada segundo orientação de nossos advogados. Nenhum “bate-boca” digital ocorrerá.

Atenciosamente,

Equipe MAD Powerlifting

OBS – a imagem é o espaço onde estavam os Buddhas de Bamiyan, figuras esculpidas na rocha no século VI e destruidas pelo Taliban

devolucao fabricio 14 de setembro 2015-publicavel

Marcado , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.